Amesterdão em português europeu, Amsterdã em português brasileiro e Amsterdam em neerlandês é a capital, e a maior cidade dos Países Baixos, situada na província Holanda do Norte. Seu nome é derivado de uma represa (dam) no rio Amstel, o rio onde fica a cidade.
A cidade é conhecida por seu porto histórico, seus museus de fama internacional, sua zona de meretrício (Red Light District, o "Bairro da Luz Vermelha"), seus coffeeshops liberais, e seus inúmeros canais que levaram Amsterdã a ser chamada a "Veneza do Norte".

Pintura de Amsterdã em 1538

História
No início, Amsterdã era nada mais que um povoado de pescadores. Segundo a lenda, a cidade foi fundada por dois pescadores da província de Frísia, que por casualidade acabaram nas margens do rio Amstel em um pequeno barco, junto a seu cachorro.
A data tradicional da fundação da cidade foi em 27 de outubro de 1275, quando retiraram a obrigação dos seus habitantes de pagar taxas associadas a passagem em pontes neerlandesas. No ano de 1300 foi concedido o direito oficial de cidade, e a partir do século XIV, Amesterdão começou a florescer como centro comercial, principalmente pelo comércio com outras cidades neerlandesas e alemãs, conhecidas como a Liga Hanseática.
No início do século XVII, considerado o Século de Ouro de Amesterdão, a cidade converteu-se em uma das mais ricas do mundo. Desde seu porto saíam embarcações até o mar Báltico, América do Norte, África e terras que agora pertencem a Indonésia e Brasil. Dessa forma foi criada a base de uma rede comercial mundial.
A população da cidade cresceu ligeiramente de 10 000 em 1500, a 30 000 por volta de 1570. Em 1700 este número já havia alcançado 200 000. Durante os séculos XVIII e XIX e até antes da Primeira e da Segunda Guerra Mundial, o número de habitantes aumentou a não menos de 300%, alcançando 800.000 habitantes. A partir de então até a atualidade o número tem sido relativamente constante.

Pontos Turisticos
Concertgebouw
O Concertgebouw é uma sala de concertos em Amsterdã. Graças a sua excelente acústica, o Concertgebouw é considerado como uma das três melhores salas de concerto do mundo, juntamente ao Symphony Hall em Boston e o Musikverein em Viena.1 É a sede da Orquestra Real do Concertgebouw.

 Rijksmuseum
O Rijksmuseum é um museu nacional, localizada em Amsterdã na Praça do museu. O Rijksmuseum é dedicado à artes e história. Ele tem uma larga coleção de pinturas da idade de ouro neerlandesa e uma substancial coleção de arte asiática.

        Prinsengracht
        Amsterdã, capital da Holanda, é chamada de Veneza do Norte por seus mais de 100 quilômetros de canais, cerca de 90 ilhas e 1500 pontes1 2 3 4 . Os três principais canais, Herengracht, Prinsengracht, e Keizersgracht, cavados no Século XVII durante a Idade de Ouro Holandesa, formam cinturões concêntricos ao redor da cidade, conhecidos como Grachtengordel.
        O canal Prinsengracht fica famosa rua em que Anne Frank ficou escondida com sua familia e amigos. É uma região linda de Jordan, com casas típicas, charmosas, a beira do canal. Vale muito apreciar o local.



        Casa de Anne Frank
        A Casa de Anne Frank é um museu em Amsterdã, fundado em 3 de maio de 1960 em memória de Anne Frank, no edifício onde ela e sua família e outras quatro pessoas judias permaneceram escondidas nos anos da ocupação nazista dos Países Baixos durante a Segunda Guerra Mundial.

        Em 3 de maio de 1957 um grupo de pessoas, incluindo Otto Frank, estabeleceram o Instituto Anne Frank com o propósito de salvar o edifício da demolição, e torná-lo acessível ao público.



        Keukenhof
        Keukenhof é o maior parque de flores do mundo e uma das mais famosas atrações do país. São milhões de bulbos de flores plantados à mão, um a um, formando tapetes de tulipas em uma área verde de 32 hectares.
Keukenhof abre todos os anos apenas por oito semanas, durante a primavera. Em março e abril, a Holanda ganha como atração extra as cores das tulipas – é época da floração – e o frio mais intenso já está indo embora.

        Como Circular
       Amsterdã é uma cidade razoavelmente compacta. Boa parte dos passeios pode ser feita a pé ou de bicicleta. Para distâncias maiores, utilize os bondes (é possível pagar o trajeto direto com o condutor, mas bilheres adquiridos em tacabarias e bancas vêm com descontos; o mesmo vale para os ônibus). As rotas de ambos podem ser checados em mapas distribuídos nas estações de trens e em algumas paradas.

        Onde comer
       Ao longo da Damrak é possível encontrar uma série de restaurantes bem turísticos. Ou casas nos canais do entorno ou na praça Leidseplein, onde estão cafés bem tranquilos, bares bem agitados e alguns endereços especializados até mesmo em cozinha brasileira e argentina.

Deu pra perceber que lugares para conhecer em Amsterdã não faltam né?! Se eu fosse algum dia, com certeza, o primeiro lugar que eu iriar querer conhecer seria Keukenhof porque eu amo tulipas ou talvez a Casa de Anne Frank. E você, em que lugar iria primeiro?

Xoxo!


Deixe um comentário