Sim, eu percebi a maneira que me olhou quando passei por aquele portão a primeira vez. Percebi o jeito que seu corpo enrijeceu quando olhei para você e disse “Bom dia”. Vi a forma que desviava os olhos todas as vezes em que eu olhava na sua direção. Percebi a forma que me encarava quando achava que eu estava distraída. 
Sim, eu percebi que tentava chamar minha atenção quando ia na minha sala perguntado se estava tudo certo. Mal sabia você que o que não estava certo era você não se aproximar como, estava claro que, gostaria.
Nos esbarramos na porta, suas bochechas ficaram rosadas, mas ainda assim, pela primeira vez, você não desviou os olhos quando levantei o olhar.Pude ver no brilho dos seus olhos azuis o reflexo dos meus. Naquele momento estavamos na mesma sintonia. Vi, quase que em câmera lenta, um sorriso tomar conta do seu rosto. 
Eu poderia ficar ali, por horas, apenas olhando pra você.
Percebendo quase sem perceber todos esses detalhes que, sim, pude notar, não seriam tão difíceis para se ter conhecimento… Sua mãe deve ter mencionado algo a respeito… Um amor essa minha quase sogra, não acha?


Deixe um comentário